THELMA – 2017

Antes de conquistar o mundo em 2021 com sua fabulosa comédia romântica The Worst Person in the World (A Pior Pessoa do Mundo, em português do Brasil), o cineasta norueguês Joachim Trier já conquistava fãs do cinema com um suspense de terror sobrenatural que envolve drama, mas sem ignorar o romance, o fantástico Thelma (que mantém o mesmo título na versão brasileira)! Dirigido e co-escrito por Trier, ao lado de cineasta também norueguês Eskil Vogt, Thelma conta a história de uma jovem introvertida e religiosa que dá nome ao filme é interpretada pela excelente Eili Harboe. Ela tem dificuldades em socializar com as pessoas da universidade onde estuda e ainda é muito ligada aos pais, que a visitam com frequência e ainda exercem bastante controle sobre a vida da filha. Aos poucos, Thelma começa a ter convulsões que parecem estar relacionadas aos sentimentos que ela tem por uma outra aluna do campus, a simpática Anja (vivida por uma ótima Kaya Wilkins, também conhecida por seu nome de cantora, Okay Kaya). Mas o mistério por trás dessas inexplicáveis crises são ainda mais profundos do que a estudante imagina e podem revelar algo que Thelma luta para manter escondido.

Muita gente vai comparar Thelma ao clássico de terror dos Estados Unidos, o icônico Carrie, de 1976, e dá pra entender essa comparação. São histórias de mulheres vindas de famílias religiosas que sufocantes que buscam por viver suas vidas independentemente das crenças herdadas, e nesse caminho começam a passar por um misterioso processo sobrenatural. Não quero dar muitos detalhes sobre o processo de Thelma, uma vez que esse é um dos pontos mais especiais do filme e espero que você só o descobra ao assistir a essa obra tão bem feita, mas o que eu quero dizer é que as semelhanças param por aí. O filme norueguês é mais lento, sutil e instigante, eu diria, principalmente pela direção dedicada do talentoso Joachim Trier. Não vou negar o fato de que trazer um romance lésbico para o centro da narrativa me conquistou e fez com quem meu apreço por esse suspense fosse ainda maior, afinal, quanto mais filme LGBTQ+ no mundo, melhor! As performances da dupla de protagonistas também merecem elogios, as jovens atrizes estão lindamente engajadas em seus papéis e convencem a cada olhar. A cena climática do filme, minuciosamente editada, funciona como uma das metáforas visuais mais incríveis, lindas e tristes do cinema para aqueles que, infelizmente, já lutaram para aceitar sua própria homossexualidade. É de arrepiar.

Nota 10!

No momento da publicação deste artigo, Thelma está disponível para streaming na Mubi e no Looke, além de poder ser alugado no Google Play e no iTunes. Se você se interessou por essa obra e quer conhecer mais sobre ela, incluindo outras opiniões, abaixo você encontra o link para o Letterboxd e para o TvTime, que são redes sociais de pessoas que comentam todas as obras do mundo do cinema e da televisão. Além disso, já que os filmes e as séries estão sempre mudando de streaming, você pode visitar o JustWatch, uma ferramenta que mostra a disponibilidade de filmes e séries em todas as plataformas de diversos países, para conferir de forma atualizada onde assisti-los! 🎥


Veja também:

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Site criado com WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: