THE LAST DUEL – 2021

Alerta de gatilho: o tema principal deste filme aborda estupro e abuso sexual.

The Last Duel (O Último Duelo, na versão em português) é um dos dois filmes do diretor Ridley Scott lançados em 2021, o outro sendo o badalado House of Gucci, com Lady Gaga e Adam Driver. Driver, por sinal, também está em The Last Duel, que é um drama histórico épico escrito por Nicole Holofcener, Ben Affleck e Matt Damon, os dois últimos também interpretam personagens no filme. Completando o elenco principal está a ótima Jodie Comer, mostrando sua versatilidade, uma vez que a atriz também estrelou Free Guy este ano. O filme é baseado no livro The Last Duel: A True Story of Trial by Combat in Medieval France, do escritor Eric Jager, e conta a história real de Marguerite de Carrouges (Comer); seu marido, Sir Jean de Carrouges (Damon); e um ex-amigo de Jean, Jacques Le Gris (Driver). Na trama, que se passa na França durante a Idade Média, Marguerite de Carrouges acusa Jacques LeGris de estuprá-la. O caso rapidamente se torna um escândalo, não só pela acusação em si, mas por envolver figuras da nobreza. A acusação é levada à mais alta corte de Paris que, a pedido de Jean de Carrouges, determina que caso seja decidido num “duelo judiciário”, ou seja, um combate armado do qual um homem só sai vencedor ao matar o seu oponente. O resultado do duelo é entendido como a vontade divina e o perdedor, além de morrer, é considerado o culpado.

Por mais que The Last Duel se passe durante a Idade Média, ele retrata uma história muito atual no que diz respeito aos comentários sociais que aborda, trazendo um retrato da cultura do estupro que atormenta mulheres através dos séculos. A estrutura do filme não facilita seu entendimento, no entanto, com a mesma história repetida três vezes, primeiramente do ponto de vista de Jean de Carrouges, em seguida da perspectiva de Jacques LeGris, e, por fim, sob a ótica real dos fatos, que é o ponto de vista de Marguerite de Carrouges. Isso torna o filme mais longo do que o necessário e repleto de momentos irrelevantes que deixam a história muito intrincada, principalmente no seu início.

Aos poucos, o desenvolvimento vai melhorando e as coisas ficam mais claras, mas é quando temos também alguns dos momentos mais problemáticos do filme: o estupro de Marguerite, que é mostrado duas vezes, sob perspectivas diferentes. Então, se já é desconfortável assistir a esse tipo de representação uma vez, imagine duas. Não preciso nem dizer que há muitas outras formas de contar histórias de abuso sexual sem a necessidade de cenas explícitas, mas infelizmente, esse não é o caso de The Last Duel. Ainda assim, outros elementos do filme são bem feitos, como o figurino, o design de produção e maquiagem. As atuações estão muito boas, principalmente a de Jodie Comer, e até mesmo Ben Affleck, que tem um papel secundário, mas rouba as cenas em que faz parte. Uma pena mesmo o filme não ter feito escolhas criativas mais acertadas, pois a história merecia.

Nota 6.

No momento da publicação deste artigo, The Last Duel ainda não está disponível nas plataformas oficiais de streaming ou de aluguel do Brasil. Se você se interessou pelo filme e quer conhecer mais sobre ele, incluindo outras opiniões, abaixo você encontra o link para o Letterboxd, uma rede social de pessoas que comentam todas as obras do mundo do cinema. Além disso, já que os filmes estão sempre mudando de streaming, você pode clicar em JustWatch, uma ferramenta que mostra a disponibilidade de filmes e séries em todas as plataformas de diversos países, para conferir de forma atualizada onde assisti-los!


Veja também:


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: