HOUSE OF GUCCI – 2021

Um dos filmes mais aguardados de 2021, House of Gucci (Casa Gucci, na versão em português do Brasil) é o segundo filme dirigido pelo cineasta Ridley Scott no ano que acabou de passar, ao lado do drama histórico The Last Duel, muito superior, por sinal. Ambos os filmes são também inspirados em fatos reais e, no caso de House of Gucci, a fonte foi o livro The House of Gucci: A Sensational Story of Murder, Madness, Glamour, and Greed da escritora Sara Gay Forden. A trama do filme foca na história da socialite Patrizia Reggiani (interpretada por Lady Gaga), uma mulher de origem humilde que, ao se casar com o influente herdeiro Maurizio Gucci (vivido por Adam Driver), começa a tentar fazer parte dos negócios da poderosa família Gucci, dona da grife de luxo italiana fundada por Guccio Gucci em Florença em 1921. Quando os planos de Patrizia começam a dar errado e ela perde o controle dos rumos que sua vida estava tomando, ela vai fazer o que for necessário para ter seu poder de volta.

A recepção do filme foi bastante divisiva, e minha perspectiva da obra acompanha essa linha de raciocínio. Há dois filmes num só, um deles que é uma tentativa séria de construir uma narrativa biográfica sobre os eventos que revolvem a família Gucci nos anos 70, 80 e 90. No outro, temos uma visão exagerada, caricata e até mesmo cômica dos fatos, com um tom que não se leva tão a sério. Juntos, esses dois filmes não combinam muito bem, como se um prejudicasse a existência do outro. Talvez a decisão de trazer um elenco totalmente composto por estrangeiros em papéis de italianos tenha sido o erro principal, porque somos apresentados a atores com sotaques irregulares que nem sempre parecem estar no mesmo filme. Eu, particularmente, não vejo muito sentido em trazer atores estadunidenses com sotaques, já que eles falam inglês o filme inteiro. Deveríamos acreditar que esses italianos se comunicam em inglês? Claro que não! Mas se a proposta é abrir um parênteses na realidade para fazer um filme falado em inglês, que dispensem os sotaques também, por favor! A edição também não ajuda muito, pois tenta combinar momentos completamente distintos, criando uma espécie de Frankenstein, com estranhos saltos no tempo e com longas cenas sobre o universo da empresa que não acrescentam em nada à trama. No fim das contas, muito pouco se salva em House of Gucci, nem mesmo as atuações convencem, onde Lady Gaga e Jared Leto parecem forçar demais e Adam Driver parece nem tentar.

Nota 4.

No momento da publicação deste artigo, House of Gucci ainda não está disponível nas plataformas oficiais de streaming ou de aluguel do Brasil. Se você se interessou pelo filme e quer conhecer mais sobre ele, incluindo outras opiniões, abaixo você encontra o link para o Letterboxd, uma rede social de pessoas que comentam todas as obras do mundo do cinema. Além disso, já que os filmes estão sempre mudando de streaming, você pode visitar o JustWatch, uma ferramenta que mostra a disponibilidade de filmes e séries em todas as plataformas de diversos países, para conferir de forma atualizada onde assisti-los! 🎥


Veja também:


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Site criado com WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: