THE ADVENTURES OF PRISCILLA, QUEEN OF THE DESERT – 1994

Um marco no cinema LGBTQ+ mundial dos anos 90, The Adventures of Priscilla, Queen of the Desert (cujo título na versão em português do Brasil é abreviado para Priscilla, A Rainha do Deserto) é um filme de comédia dramática e de um filme de estrada australiano de 1994 escrito e dirigido pelo cineasta LGBTQ+ Stephan Elliott. A trama segue duas drag queens, Tick e Felicia, interpretadas por Hugo Weaving e Guy Pearce respectivamente, e uma mulher transgênero, Bernadette, vivida por Terence Stamp, enquanto viajam pelo Outback australiano, saindo de Sydney até uma cidade do interior chamada Alice Springs, em um ônibus de turnê que eles apelidaram de “Priscilla”. No caminho, as três protagonistas encontram vários grupos e indivíduos, alguns receptivos e outros homofóbicos e transfóbicos, e vão aprofundar a amizade que alimentam umas pelas outras enquanto aprendem mais sobre elas e sobre si mesmas. O título do filme faz referência ao termo “drag queen”, fazendo um trocadilho entre o ônibus e a arte drag que as protagonistas performam.

Um dos filmes mais icônicos do cinema LGBTQ+, do cinema australiano e do cinema dos anos 90, The Adventures of Priscilla, Queen of the Desert foi um sucesso inesperado em todo o mundo e seu retrato positivo de indivíduos LGBTQ+ ajudou a introduzir temas e a cultura LGBTQ+ para um público mainstream que não estava acostumado a obras desse tipo. O filme recebeu críticas positivas e inclusive ganhou um Oscar na categoria de Melhor Figurino. Com o passar do tempo, essa comédia dramática se tornou um clássico cult na Austrália e no exterior, se solidificou como uma obra inesquecível e foi até mesmo transformada num musical que estreou em 2006 em Sydney, antes de viajar para diversos países, até chegar à Broadway. Não há como negar a importância histórica desse filme que, de tão influente, acaba por nos fazer perdoar seus defeitos, como a péssima representação da personagem filipina. Além disso, não podemos deixar de examinar o filme como um produto de seu tempo e, por mais que seja impensável hoje em dia, os três atores que protagonizam o filme são homens cisgênero e heterossexuais. Esse aspecto afeta as performances deles, é claro, e aqueles que conhecem a cultura drag vão perceber a artificialidade em diversas sequências do filme. Ainda assim, The Adventures of Priscilla, Queen of the Desert foi um divisor de águas e abriu portas para que o cinema passasse a incluir cada ver mais histórias de pessoas LGBTQ+.

Nota 8!

No momento da publicação deste artigo, The Adventures of Priscilla, Queen of the Desert está disponível para streaming na Amazon Prime Video e no Telecine, além de aluguel no iTunes. Se você se interessou por essa obra e quer conhecer mais sobre ela, incluindo outras opiniões, abaixo você encontra o link para o Letterboxd e para o TvTime, que são redes sociais de pessoas que comentam todas as obras do mundo do cinema e da televisão. Além disso, já que os filmes e as séries estão sempre mudando de streaming, você pode visitar o JustWatch, uma ferramenta que mostra a disponibilidade de filmes e séries em todas as plataformas de diversos países, para conferir de forma atualizada onde assisti-los! 🎥


Veja também:

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Site criado com WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: