THE MATRIX RESURRECTIONS – 2021

O quarto filme da trilogia The Matrix, que teve origem em 1999 com o filme The Matrix (em português chamado apenas de Matrix), essa ficção científica cheia de ação continua a história da popular franquia da virada do milênio. Enquanto os três primeiros filmes foram dirigidos pelas irmãs Lana Wachowski e Lilly Wachowski, The Matrix Resurrections (que, em português, leva o nome Matrix Resurrections) é dirigido apenas por Lana Wachowski, que assina o roteiro ao lado dos escritores David Mitchell e Aleksandar Hemon, parceiros de longa data da diretora em outros projetos na TV e no cinema. O filme traz ainda grande parte do elenco original, incluindo o protagonista Keanu Reeves, interpretando novamente seus papéis das demais obras.

Assim como na vida real, no universo do filme se passaram diversos anos desde os acontecimentos de The Matrix Revolutions, e agora Neo (Keanu Reeves) leva uma vida normal com seu nome original, “Thomas Anderson”, na cidade de São Francisco, Califórnia. Ele vive uma vida aparentemente comum como desenvolvedor de videogames que, recentemente, está preocupado em distinguir sonhos da realidade. É quando um grupo de rebeldes, com a ajuda de uma versão programada de Morpheus (agora vivido por Yahya Abdul-Mateen II), liberta Neo de uma nova versão da Matrix para lutar contra um novo inimigo que mantém Trinity (Carrie-Anne Moss) em cativeiro. Assim, como anos antes, Neo volta a se juntar a um grupo de rebeldes para tentar vencer, dessa vez, uma nova e mais perigosa ameaça e livrar todos da Matrix novamente.

Como das outras vezes, eu me sinto bastante dividido assistindo a um filme da franquia Matrix, porque tenho grande admiração pelo universo cyberpunk construído, mas acredito que a condução da história tenha alguns problemas que me impedem de aproveitar completamente a experiência. O primeiro ato de The Matrix Resurrections é talvez o mais interessante, pois nos deparamos com um novo Neo inserido num novo contexto. Temos diversas cenas que abusam de metalinguagem e fazem referência ao universo Matrix de forma original e bastante criativa. Em seguida, entramos num ato intermediário mais arrastado e com uma narrativa complexa que lembra bastante as sequências Reloaded e Revolutions de 2003. É uma parte cansativa, mas importante do filme, que poderia ter sido mais enxuta em vários sentidos. Depois chegamos na conclusão que consegue ser empolgante e que traz excelentes cenas de ação. Felizmente, o filme se recupera para terminar em grande estilo, algo que o universo Matrix realmente merece.

Nota 6!

No momento da publicação deste artigo, The Matrix Resurrections está disponível para streaming na HBO Max e no Now ou em diversas plataformas de aluguel do Brasil. Se você se interessou pelo filme e quer conhecer mais sobre ele, incluindo outras opiniões, abaixo você encontra o link para o Letterboxd, uma rede social de pessoas que comentam todas as obras do mundo do cinema. Além disso, já que os filmes estão sempre mudando de streaming, você pode visitar o JustWatch, uma ferramenta que mostra a disponibilidade de filmes e séries em todas as plataformas de diversos países, para conferir de forma atualizada onde assisti-los! 🎥


Veja também:


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Site criado com WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: