Sundance 2022: The Territory

Um documentário urgente e super relevante, The Territory é uma coprodução internacional que une Brasil, Dinamarca, Estados Unidos e Canadá para abordar um tema que infelizmente é pouco debatido no nosso país: os direitos das populações indígenas. Dirigido pelo cineasta Alex Pritz, o filme tem nomes de peso na produção, como o conhecido diretor estadunidense Darren Aronofsky. Sua estreia em Sundance era bastante aguardada, principalmente por tratar de um tema tão delicado, e se mostrou logo um dos favoritos do público e da crítica que acompanha o festival.

The Territory conta a história da tribo indígena Uru-Eu-Wau-Wau que habita uma reserva no coração da Amazônia, mais precisamente no estado brasileiro de Rondônia. O documentário faz um ótimo trabalho introdutório mostrando como as reservas indígenas, além de serem um direito dos povos originários que habitam essas terras, configuram uma das poucas formas de resistir ao desmatamento de madeireiros e colonizadores que desejam invadir a região. Acompanhamos os índios da reserva sob a liderança do jovem Bitaté Uru Eu Wau Wau na tentativa de manter a reserva indígena intacta e livre dos invasores. Outra personagem importante da narrativa é a ativista Neidinha Suruí, que trabalha numa ONG faz a conexão entre os povos das aldeias com as instituições que deveria prestar assistência aos índios.

Brazilian rainforest in 'The Territory'

Os primeiros dois terços de The Territory investigam todos o processo de invasão de terras, acompanhando não apenas os indígenas, mas também dois grupos de invasores: uma coletiva que cria uma associação com o objetivo de urbanizar uma área da reserva através do apoio de políticos da região e um grupo independente, que entra na mata e cria assentamentos. É um trabalho corajoso da equipe de cineastas, que se coloca no meio de um fogo cruzado para entender todos os lados envolvidos e traçar um retrato fiel não somente da região, mas também das questões políticas do Brasil atual. Rapidamente cria-se uma óbvia associação entre o aumento das invasões de terras indígenas e o governo Bolsonaro, que claramente incentiva tais ações.

O terceiro ato do filme é ainda mais alarmante e surpreendente, pois se passa durante o início da pandemia de covid-19 que acaba chegando até as aldeias indígenas. É quando a equipe de produção de afasta e deixa equipamentos de filmagem e monitoramento, como drones, com os próprios indígenas, que se tornam os verdadeiros donos do documentário. Nesse momento, The Territory traz uma perspectiva única e assustadora, mas que traz resultados positivos para a reserva e mostra que há maneiras de proteger as reservas com o uso da tecnologia. Ainda assim, o mais importante de tudo é, com certeza, impedir que novos governos como o atual venham a tomar o poder no Brasil nos próximos anos.

Nota 10!

No momento da publicação deste artigo, The Territory acabou de estrear no Festival de Sundance e ainda não está disponível nas plataformas oficiais de streaming ou de aluguel do Brasil. Se você se interessou pelo filme e quer conhecer mais sobre ele, incluindo outras opiniões, abaixo você encontra o link para o Letterboxd, uma rede social de pessoas que comentam todas as obras do mundo do cinema. Além disso, já que os filmes estão sempre mudando de streaming, você pode visitar o JustWatch, uma ferramenta que mostra a disponibilidade de filmes e séries em todas as plataformas de diversos países, para conferir de forma atualizada onde assisti-los! 🎥


Veja também:


Um comentário em “Sundance 2022: The Territory

Adicione o seu

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: