CRAZY RICH ASIANS – 2018

A comédia romântica que marcou o início de uma fase mais inclusiva para histórias de personagens asiáticos no cinema de Hollywood, Crazy Rich Asians (Podres de Ricos, em português) acerta em vários sentidos e é o primeiro filme com elenco de maioria asiática produzido por um dos grandes estúdios de cinema estadunidenses desde 1993. O filme, dirigido por Jon M. Chu (que lançou o musical In the Heights esse ano), também foi responsável por catapultar as carreiras dos seus protagonistas. Na história, acompanhamos Rachel, vivida por Constance Wu, uma jovem professora de economia de Nova York que viaja para Singapura com seu atual namorado, Nick (interpretado por um sempre excelente Henry Golding) para o casamento do melhor amigo do rapaz. É quando Rachel descobre que Nick é membro de uma família riquíssima e muito influente na alta sociedade do país. E essa revelação vem com uma série de obstáculos, entre eles a mãe de Nick, a possessiva e intimidadora Eleanor (vivida por uma fabulosa Michelle Yeoh), que desaprova do namoro do filho com Rachel, que é uma mulher de classe social mais baixa e sem família influente.

Um gênero de cinema que sempre corre o risco de ser repetitivo e problemático nas suas representações, a comédia romântica teve seu apogeu nos anos 90 e hoje é cada vez mais rara. Ainda mais a boa comédia romântica, que se arrisca a ir além do amor aparentemente impossível e trazer temas relevantes. E é aí que 2018 nos presenteia com Crazy Rich Asians, um filme que se propõe a discutir classe (de uma maneira superficial, mas que já é alguma coisa) num contexto onde todos os personagens principais são de origem asiática. E o resultado é divertido, eficiente e até emocionante em alguns momentos, em parte por conta do nom material de origem: o filme é baseado num livro de 2013 do escritor Kevin Kwan, que também tem origem em Singapura.

E a adaptação para o cinema foi muito bem feita, bem dirigida e bem escrita, além de contar com um visual incrível (que inclui uma das cenas de casamento mais lindas do cinema) e músicas deliciosas (com a participação da ótima cantora Kina Grannis). Além disso, o elenco está perfeito em seus papéis, que além de Wu, Golding e Yeoh, conta com a carismática Awkwafina no papel de Peik Lin, melhor amiga de Rachel, e com o hilário Ken Jeong, como pai de Peik Lin. O merecido sucesso de público e de crítica não demorou a chegar, o que levou o estúdio e encomendar mais duas sequências para o filme, baseadas nas demais obras de Kevin Kwan. E que sejam tão gostosas de assistir quanto Crazy Rich Asians!

Nota 8!

No momento, Crazy Rich Asians está disponível para streaming no Telecine ou para aluguel no Looke, Google Play, iTunes e Microsoft Store (clique em JustWatch para conferir).


Veja também:

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: