WESTWORLD – 2016/22

Uma das séries de TV de maior sucesso da HBO logo na sua estreia em 2016, Westworld é uma criação do casal Lisa Joy e Jonathan Nolan (irmão do famoso cineasta Christopher Nolan) e é inspirada no filme de 1973 que leva o mesmo nome. Esse filme, por sua vez, foi escrito e dirigido pelo multitalentoso Michael Crichton, popular cineasta e escritor estadunidense, talvez mais conhecido por ser o autor do livro Jurassic Park, que foi adaptado por Steven Spielberg para o cinema, se tornando um dos filmes mais icônicos dos anos 90. Assim como sua história de dinossauros, Westworld também se passa numa espécie de parque de diversões, mas dessa vez as atrações principais são robôs humanoides que, com auxilio de tecnologias super avançadas disponíveis num futuro não muito distante, se assemelham muito com os humanos de carne e osso. No universo da série, acompanhamos Dolores, vivida por uma sempre excelente Evan Rachel Wood, que é uma das diversas personagens das histórias do parque que é ambientado no Velho Oeste. Um certo dia, Dolores começa a desenvolver algo que se aproxima a uma senciência, ou seja, começa a sentir sensações e sentimentos de forma consciente, uma mudança que seria inimaginável num parque que preza pela segurança dos frequentadores. As coisas podem sair ainda mais do controle quando Dolores e outros “anfitriões”, como são chamados os robôs do local, passam a nutrir um ressentimento pela forma com a qual são tratados pelos visitantes, e começam a planejar uma revolução.

Westworld é muitas coisas, menos simples. A sinopse que eu descrevi acima é apenas um resumo de uma das muitas histórias da primeira temporada, que continua na segunda e na terceira, juntamente com diversas outras tramas e temas paralelos. O próprio gênero da série é um mistura que une faroeste (uma vez que o tema dos parque é o ambiente de expansão para o oeste dos Estados Unidos no início do século 17) com temas de ficção científica hiper futurista, além de pitadas de drama, mistério e ação. A primeira temporada, principalmente, é envolta em mistérios sobre a origem do parque, o seu funcionamento e as inúmeras teorias por trás do desenvolvimento de consciência e vontade própria nos robôs anfitriões.

A grande maioria dos episódios se passa em diferentes linhas do tempo que deixam a história mais confusa e enigmática do que precisa ser, mas ainda assim, as conclusões são satisfatórias. Felizmente, essa complexidade exagerada é reduzida nas temporadas posteriores. O ponto principal da série, por sua vez, está nos ambiciosos temas abordados, que falam de livre arbítrio, dilemas éticos e morais da tecnologia e daquilo que nos faz humanos. Nesse sentido, as surpresas e reviravoltas da narrativa, que é bem dirigida e bem escrita, acabam sendo um bônus. Outro ponto que merce destaque é o excelente elenco, que une nomes como Jeffrey Wright, Thandiwe Newton, James Marsden, Rodrigo Santoro, Ben Barnes, Ed Harris e Anthony Hopkins, entre tantos outros.

Nota 9!

No momento, Westworld, que tem três temporadas e deverá ter uma quarta lançada em 2022, está disponível para streaming na HBO Max.


Veja também:

Um comentário em “WESTWORLD – 2016/22

Adicione o seu

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: