DON’T BREATHE – 2016

Dirigido pelo uruguaio Fede Álvarez, o mesmo cineasta responsável por dar vida à nova versão de Evil Dead para os cinemas, Don’t Breathe (que em português ganhas o terrível título de O Homem nas Trevas) é um filme de terror que muda a perspectiva dos filmes com temática de “home invasion”. Enquanto há diversos filmes assustadores onde pessoas indefesas têm suas casas invadidas por mal-feitores, assassinos e criaturas tenebrosas dos mais diversos tipos, dessa vez, o verdadeiro vilão é quem tem a sua casa invadida. Na história de Don’t Breathe, um grupo de três adolescentes, Rocky, Alex e Money (interpretados por Jane Levy, Dylan Minnette e Daniel Zovatto respectivamente) planeja entrar na casa de um homem cego (vivido por um ótimo Stephen Lang) com a intenção de roubar uma possível fortuna que é guardada do local. Eles imaginam que, devido à sua deficiência visual, o homem não será um problema e o roubo poderá ser feito facilmente. No entanto, assim que começam a executar seu plano, os jovens vão descobrir que estavam errados em suas suposições e vão acabar tendo que lutar pelas suas próprias vidas num angustiante jogo de gato e rato.

Don’t Breathe executa muito bem o trabalho de causar ansiedade nos seus espectadores. As cenas são tensas e nos fazem sentar na beirinha da cadeira, preocupados com o que vai acontecer a seguir. E esse sentimento só aumenta ao longo do filme, o que deixa a experiência ainda mais empolgante. Nesse sentido, direção, fotografia, edição de imagem e de som trabalham juntas para criar uma narrativa fluída e com um excelente ritmo. Os atores também estão muito bem em seus papéis, principalmente Jane Levy, como a protagonista, mas também Dylan Minnette, que muitas vezes deixa a desejar, mas dessa vez está ótimo num papel assistente. É preciso mencionar também o assustador antagonista vivido por Stephen Lang, que faz um excelente trabalho, mesmo com um texto que não está à altura de sua atuação. E por falar em texto, um dos problemas do filme está logo aí: o roteiro de Fede Álvares (co-escrito com Rodo Sayagues), não sai do lugar-comum e usa alguns clichês bastante problemáticos. O principal defeito está na decisão criativa de associar a personalidade do antagonista ao ateísmo, como se pessoas sem religião tivessem uma maior tendência à maldade ou à insanidade, o que não faz o menor sentido. Por isso não consegui me sentir satisfeito com o rumo que o filme toma em seu terceiro ato, mesmo gostando muito de tudo que o antecede.

Nota 6!

No momento, Don’t Breathe, que tem uma sequência programada para estrear em agosto de 2021, está disponível para streaming na Netflix ou para aluguel no iTunes, Microsoft e Claro Video.


Veja também:

Um comentário em “DON’T BREATHE – 2016

Adicione o seu

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: