O TIGRE BRANCO – 2021

O novo lançamento da Netflix conta uma complexa história de poder e vingança que explora as intricadas nuances das culturas indianas, suas castas e suas tradicionais relações entre patrões e seus servos. Baseado num best-seller do The New York Times do escritor indiano Aravind Adiga, O Tigre Branco (The White Tiger no original em inglês) é dirigido pelo iraniano que vive nos Estados Unidos, Ramin Bahrani, que geralmente foca em questões sociais em seus filmes. E dessa vez, não foi diferente. O filme conta a história de Balram, um jovem pobre, mas muito ambicioso, que sonha em progredir socialmente num país onde esse tipo de mobilidade é inexistente e num momento onde esse tipo de progresso é cada vez mais raro graças ao avanço de um capitalismo cada vez mais selvagem e da absoluta corrupção que se instaura em todos os níveis da sociedade. Nesse contexto, Balram consegue se tornar o motorista de um influente empresário cuja visão de mundo é influenciada por anos vividos nos Estados Unidos.

Ao mesmo tempo em que a história é instigante e bem escrita, o desenvolvimento do filme parece um pouco desigual. Passamos grande parte das mais de duas horas de filme acompanhando o desenrolar da história e à espera do clímax, que só chega nos últimos minutos e concluem a narrativa de forma que parece bastante apressada. Se o tempo fosse distribuído mais igualmente entre os atos de O Tigre Branco, com certeza teríamos um filme com melhor fluidez e menos cansativo. De qualquer forma, a obra tem ótimos momentos e alguns dos maiores destaques são as atuações, sobretudo de Adarsh Gourav, como o protagonista Balram, mas também seus patrões ricos, vividos por Priyanka Chopra Jonas e Rajkummar Rao.

O filme acerta na mensagem de que no mundo atual todos estão lutando pela sobrevivência e de que os ricos, mesmo aqueles que fingem agir de forma bondosa, se aproveitam do status de poder que possuem e sugam tudo o que podem da sociedade em geral. O Tigre Branco acaba mostrando como na Índia todos os defeitos do capitalismo acabam exacerbados por costumes milenares enraizados nas relações entre as pessoas. Ainda assim, o protagonista, embora possua uma luta válida pela ascensão social, também é cheio de defeitos. Mas essa complexidade de caráter que enriquece os personagens, acaba também deixando o filme sem um rumo concreto. Talvez como o nosso mundo…

Nota 7!

O Tigre Branco está disponível para streaming na Netflix.


Veja também:

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: