GRAVE – 2016

Um filme de terror francês, Grave (chamado Grave também no original em francês e Raw na versão em inglês) é dirigido e escrito por Julia Ducournau, uma jovem cineasta francesa que nas suas obras anteriores já mostrava interesse em trabalhar com narrativas que envolvem “body horror”, o terror corporal que intencionalmente foca em violações físicas ou psicológicas do corpo humano. E no ótimo Grave, que é o primeiro longa da diretora feito para os cinemas, não é diferente. Nele acompanhamos a história de Justine (interpretada por uma excelente Garance Marillier), uma caloura de um curso de veterinária na mesma universidade onde já estudava sua irmã mais velha, Alexia (vivida por uma ótima Ella Rumpf). Assim que chega lá, Justine se vê obrigada a participar dos trotes universitários feitos pelos veteranos onde ela, que é vegetariana, acaba tendo que comer carne pela primeira vez em sua vida. Esse acontecimento vai impactar a vida da jovem e acabar trazendo uma série de consequências para Justine e todos a sua volta.

Um filme tenso e com um ar de mistério que envolve os espectadores, Grave tem uma atmosfera densa e bem construída, mas que é diferente da maioria dos filmes de terror. A história e os detalhes da narrativa são chocantes, com certeza, e inclusive podem afastar algumas pessoas que não gostam de cenas fortes e “gore”, aqueles momentos bastante sangrentos, mas o filme em si justifica essas cenas de forma coerente, afinal, ele tem uma narrativa que foca no terror corporal e faz isso de forma bastante efetiva. O filme testa os limites de quem o assiste com alguns dos momentos mais inquietantes do cinema de terror recente, tudo isso com diálogos simples e diretos graças ao ótimo roteiro, que é focado e não dá muitas voltas. A direção de Ducournau também merece elogios, mas a diretora é auxiliada pelas ótimas atuações dos jovens atores, que sem exceção, fazem um grande trabalho. Além disso, Grave conta com uma belíssima fotografia comandada pelo veterano diretor de fotografia Ruben Impens. Alguns momentos do último ato parecem um pouco destoantes do restante da obra, principalmente por algumas decisões criativas, algumas das quais eu realmente gostaria que fossem diferentes. Ainda assim, Grave é inovador e aterrador em todos os sentidos, principalmente na sua capacidade de contar uma história de terror sem deixar de lado a humanidade das personagens.

Nota 9!

Atualmente Grave não está disponível nas plataformas de streaming ou de aluguel do Brasil.


Veja também:

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: