ETERNALS – 2021

O terceiro filme da Marvel lançado em 2021, Eternals (Eternos, na versão em português) marca vários momentos únicos nessa franquia de sucesso. Dirigido pela mais recente ganhadora do Oscar de Melhor Direção e Melhor Filme por Nomadland, Chloé Zhao, Eternals é o primeiro filme do MCU que traz um personagem de destaque abertamente LGBTQ+, é o primeiro a trazer uma super-heroína surda, o primeiro filme a mostrar uma cena de sexo entre dois personagens e, claro, o primeiro filme a abordar a origem do universo dentro da complexa mitologia Marvel, onde os Eternos possuem um papel fundamental. A trama do filme narra eventos que acontecem ao longo de sete mil anos de história nos mais diferentes cantos do planeta, desde a chegada de um grupo de dez Eternos, seres interplanetários enviado à Terra por um poderoso Celestial, que é uma das criaturas mais antigas do universo. A missão desse grupo no nosso planeta é proteger a civilização humana contra os temidos Deviants, seres misteriosos e predadores que se alimentam de pessoas. Através de milhares de anos, os Eternos se mantiveram vivendo entre os homens secretamente, sem influenciar o curso da História. Mas agora, com uma nova ameaça vinda dos Deviants, o dez membros desse seleto grupo precisarão se unir novamente numa batalha contra o fim do mundo.

Eternals é um filme que precisa contar muitas histórias e apresentar muitos personagens, então é de se imaginar que diversos críticos fossem reclamar quantidade de sequências de exposição durante a obra. De qualquer forma, todas essas cenas são necessárias, afinal, são sete mil anos de história e dez diferentes super-heróis. Resumir isso em pouco mais de duas horas e meia foi certamente um desafio gigantesco, além da ambição de contar uma nova história sobre o fim do mundo que tem proporções épicas. Sendo assim, mesmo aqueles que conhecem e admiram o trabalho de Chloé Zhao vã perceber que Eternals precisou correr em alguns momentos para dar conta de atingir todos os objetivos necessários. E no fim das contas, fica claro que a grande maioria desses objetivos foi alcançada. Conhecemos e nos importamos com os Eternos, mesmo com aqueles que tiveram pouco tempo de tela, enquanto Sersi e Ikaris (interpretados pelos excelentes Gemma Chan e Richard Madden, respectivamente), que são os personagens centrais da trama, rapidamente se tornam figuras marcantes no universo Marvel devido ao filme. Os visuais e a música também são elementos bem utilizados na obra e ajudam a trazer a sensação de gravidade dos eventos retratados. O resultado que fica é um gostinho de “quero mais”, é a vontade de assistir mais histórias dessa incrível e diversa família disfuncional. Se essa for a direção que o MCU vai tomar daqui em diante, pode contar comigo!

Nota 8!

No momento da publicação deste artigo, Eternals ainda não está disponível nas plataformas oficiais de streaming ou de aluguel do Brasil, mas deve chegar em breve à Disney+. Se você se interessou pelo filme e quer conhecer mais sobre ele, incluindo outras opiniões, abaixo você encontra o link para o Letterboxd, uma rede social de pessoas que comentam todas as obras do mundo do cinema. Além disso, já que os filmes estão sempre mudando de streaming, você pode clicar em JustWatch, uma ferramenta que mostra a disponibilidade de filmes e séries em todas as plataformas de diversos países, para conferir de forma atualizada onde assisti-los!


Veja também:


Um comentário em “ETERNALS – 2021

Adicione o seu

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Site criado com WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: