CANDYMAN – 1992

Aproveitando que em poucos dias a nova sequência de Candyman, dirigido por Nia DaCosta, irá estrear nos cinemas, que tal voltar 30 anos no passado para revisitar o filme original, que marcou o universo do terror da época? Escrito e dirigido pelo cineasta inglês Bernard Rose e baseado num conto do escritor também inglês Clive Barker, Candyman, o filme, que em português leva o título de O Mistério de Candyman, transporta a história para o contexto dos Estados Unidos. Ele acompanha os acontecimentos desencadeados pela estudante de pós-graduação Helen (vivida por Virginia Madsen) enquanto ela investiga mitos e lendas urbanas do folclore da região de Chicago. Uma das histórias mais conhecidas entre os residentes do infame complexo de casas populares Cabrini-Green, habitado majoritariamente por negros, é a de Candyman. Ela conta que, quando o nome “Candyman” é repetido cinco vezes em frente a um espelho, o espírito de um homem negro aparece (interpretado pelo excelente Tony Todd), trazendo um gancho no lugar de uma das mãos, que é a ferramenta que ele utiliza para matar suas vítimas.

No contexto do início dos anos 90, filmes de terror nem sempre estavam preocupados em criar histórias recheadas de críticas sociais; na verdade, filmes de quase nenhum gênero traziam temáticas de raça e classe nos Estados Unidas de forma tão clara e contundente quanto Candyman o fez. Por isso, e pela sua qualidade no geral, o filme marcou época e é até hoje considerado revolucionário. Através dessa narrativa, o filme é capaz de visitar feridas abertas nas relações entre negros e brancos na América do Norte que não foram tratadas até hoje, fazendo do filme um clássico ainda muito atual. Além da temática, Candyman é bem dirigido e seu desenvolvimento faz bastante sentido. Alguns momentos do filme apresentam uma certa mudança de tom que chama a atenção, mas isso não chega a prejudicar a obra. O filme também é auxiliado por ótimas atuações, como a da protagonista Virginia Madsen, e principalmente do antagonista, Tony Todd, que ajudou a transformar Candyman num personagem inesquecível e assombroso. O terror em si é construído de forma natural e deixa qualquer um tenso, até porque que todos nós já ouvimos alguma lenda urbana similar na infância, então fica fácil se imaginar no lugar das personagens. Eu que não teria coragem de ir na frente do espelho repetir Candyman cinco vezes após assistir a esse filme!

Nota 9!

No momento, Candyman está disponível para streaming no Telecine e no Oi Play, ou de aluguel no iTunes ou no Google Play.


Veja também:

Um comentário em “CANDYMAN – 1992

Adicione o seu

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: