ZOLA – 2020

Imagine se uma thread do Twitter fosse tão maluca e contasse uma história tão impressionante que acabasse virando um filme! Pois esse é o caso de Zola, um comédia ácida que teve origem numa sequência de 148 tweets publicados em 2015 no perfil da incrível @_zolarmoon e que viralizaram rapidamente. A história contada por Aziah “Zola” King se baseia num final de semana muito bizarro vivido por ela numa viagem à Flórida e que acabou virando o roteiro de Zola, dirigido pela cineasta Janicza Bravo, que também co-escreve o script com Jeremy O. Harris. No filme, Zola (interpretada por uma ótima Taylour Paige) conhece uma garota no restaurante em que trabalha, a frenética Stefani (vivida por uma sempre excelente Riley Keough). As duas têm muito em comum e se dão muito bem logo de cara. Assim, no dia seguinte Stefani já convida a nova amiga para dançar numa boate em Tampa, na Flórida, e Zola, qua também já tem experiência como dançarina exótica, não pensa duas vezes antes de aceitar a oferta de conseguir um dinheiro fácil no fim de semana. O que Zola não imaginava, no entanto, é que a sua mais nova amiga iria levá-la para viver as situações mais inesperadas e surreais da sua vida!

Zola é um filme diferente de tudo, o que faz muito sentido, dada a origem da história que ele conta, e tem a cara da A24, que distribui o filme. Com uma direção minuciosa e edições de áudio e vídeo bastante criativas e originais, o filme consegue muito bem transpor para as telas o clima das redes sociais, tudo isso com a ajuda de um ótimo roteiro, é claro! Ele é muito fiel na adaptação e algumas falas são exatamente iguais aos tweets de 2015, que por sinal são muito engraçados. As confusões nas quais as protagonistas se encontram são todas moldadas pelo clima etéreo da história, além do humor que, na maioria das vezes, é moderno e inteligente. Além disso, as protagonistas são fabulosas, Taylour Paige está perfeita no papel e sua performance mostra o desconforto de quem acaba se metendo em situações complicadas contra a própria vontade. Já Riley Keough confirma algo que a maioria das cinéfilos atuais já sabia: ela é uma das melhores atrizes da atualidade, com interpretações icônicas em diversos filmes independentes. Dessa vez, não foi diferente, a atriz entrega uma atuação surpreendentemente triste e hilária ao mesmo tempo. O filme foca no final de semana e não traz informações extras sobre o que acontece com aquelas pessoas após a fatídica viagem para Tampa, algo que é descrito no final da thread de Zola no Twitter e que daria uma conclusão ainda mais impactante ao filme, mas mesmo assim, ele não deixa de ser uma das obras mais originais dos últimos anos.

Nota 9!

No momento, Zola ainda não está disponível nas plataformas oficiais de streaming ou de aluguel do Brasil.


Veja também:

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: