TURMA DA MÔNICA: LAÇOS – 2019

Pouco importa a sua geração, o local do Brasil onde você cresceu ou seu tipo favorito de passatempo na infância, é bem provável que você tenha, em algum momento, lido gibis da Turma da Mônica. Os quadrinhos mais populares do Brasil, as historinhas da menina dentuça de vestido vermelho fazem parte da infância de milhares, até de milhões de brasileiros. Por isso, adaptar esse tão amado universo para as telas do cinema foi uma tarefa de muita responsabilidade do diretor Daniel Rezende e do roteirista Thiago Dottor. Vale lembrar que Rezende, cuja estreia como diretor havia acontecido dois anos antes com o elogiado Bingo: O Rei das Manhãs (2007), já tinha também uma longa carreira como editor, tendo inclusive sido indicado ao Oscar de Melhor Edição por Cidade de Deus (2002). Em Turma da Mônica: Laços, a história é uma adaptação dos quadrinhos com mesmo nome de autoria dos irmãos Vitor e Lu Cafaggi e acompanham a saga de Mônica, Cebolinha, Magali e Cascão ao tentar encontrar Floquinho, o icônico cachorro verde do Cebolinha que desapareceu misteriosamente. Nessa aventura, os quatro amigos vão precisar se unir para escapar das maiores enrascadas e levar o Floquinho de volta para a casa.

É sempre bom assistir a um filme que nos faz viajar para os melhores momentos da nossa infância. E Turma da Mônica: Laços precisa de muito pouco para nos transportar com sucesso para os momentos mais incríveis de quando éramos crianças. Eu mesmo tinha um ritual mensal de ir à banca de jornal escolher a nova revistinha que era lançada e devorar as historinhas em minutos. Então, sim, assistir a esse filme foi incrível nesse sentido. Agora, analisando friamente, a obra como um todo deixa muito a desejar. O maior defeito do filme está na sua história e no roteiro, ambos fraquíssimos. O texto é repleto de clichês vazios e a história faz umas escolhas criativas bizarras. E mesmo quando o bizarro é a intenção, como no trecho em que o Louco aparece (interpretado por Rodrigo Santoro), ele não parece natural e fica deslocado do restante da narrativa. Narrativa essa que, por sinal, não entrega momentos marcantes e tem um viés conservador que não encaixa com os dias atuais. Ainda assim, há também acertos. Eu diria que o maior deles é no elenco, que é todo excepcional. Giulia Benite, como Mônica; Kevin Vechiatto, como Cebolinha; Laura Rauseo, como Magali; e Gabriel Moreira, como Cascão, estão todos fabulosos e encaixam muito bem nos personagens, sem exceção! Eles realmente salvam o filme e fazem a experiência ter um lado bom!

Nota 5!

No momento, Turma da Mônica: Laços está disponível para streaming no Telecine ou para aluguel no Google Play, iTunes ou Microsoft Store.


Veja também:

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: