LOOKING – 2014/16

Uma série da HBO criada por Michael Lannan, Looking (que mantém o mesmo título em português) é uma mistura de drama e comédia que recebeu os mais diversos elogios da crítica durante sua curta duração. Ela é focada nas vidas de três homens gays vivendo em São Francisco, na Califórnia: Patrick (interpretado por um ótimo Jonathan Groff), um ingênuo design de vídeo-games criado no interior dos Estados Unidos que nunca teve muita sorte no amor; Agustín (vivido por Frankie J. Alvarez), um assistente de arte de origem cubana que vive um relacionamento de longa data com o atual namorado e é também o melhor amigo de Patrick; e Dom (interpretado por um excelente Murray Bartlett), o mais velho do trio que está tentando abrir seu próprio restaurante com a ajuda de sua amiga desde os tempos do ensino médio, Doris (vivida por uma incrível Lauren Weedman). A série aborda temas cotidianos como amor, relacionamentos e carreira profissional enquanto lidam com suas inseguranças e expectativas de futuro.

Looking é aquele tipo de série sobre coisa nenhuma e sobre tudo ao mesmo tempo. Ela fala de vida, mais especificamente da vida gay adulta, de pessoas que cresceram em um contexto onde a homossexualidade era muito mais proibida e velada, mas que hoje têm a sorte de viver numa das cidades mais gay-friendly do planeta. Ainda assim, navegar pela vida adulta não é fácil para ninguém, e Looking mostra isso muito bem ao colocar seus protagonistas em situações que todos nós já vivemos alguma vez, e que se não vivemos, ainda vamos viver. O fato da série ser tão realista e honesta é o que faz dela tão especial e diferente da grande maioria das histórias LGBTQ+ produzidas até aquela época, ou mesmo hoje em dia. Com uma direção minuciosa, um roteiro excelente e atuações marcantes, a série nunca precisa de uma grande dramalhão para envolver o espectador, que se identifica facilmente com aqueles personagens. Vários debates do universo LGBTQ+ dos anos 2010 foram abordados pela série de forma objetiva e natural, como o uso de PrEP, a vida sendo HIV-positivo, relacionamentos abertos, racismo estrutural, e assim por diante. Mas essa forma leve de abordar assuntos sem grandes dramas e reviravoltas dignas de novelas não é para qualquer um, muita gente vai logo chamar o seriado de “chato”, o que pra mim é uma tremenda injustiça. Sim, a série poderia se aprofundar em alguns assuntos e inclusive trabalhá-los de forma mais adequada, mas isso não faz dela uma série ruim, só faz dela uma série verdadeira.

Nota 9!

Looking está disponível para streaming na HBO Max.


Veja também:

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: