DISCLOSURE – 2020

Um documentário essencial dirigido Sam Feder, Disclosure, que também é conhecido pelo nome Disclosure: Trans Lives on Screen (e que em português levou o título de Revelação), foi um dos filmes mais elogiados pela crítica no começo de 2020. O documentário conta a longa e complexa história de representação e da representatividade trans nas telas do cinema de Hollywood e também na TV dos Estados Unidos ao longo de mais um século de mídias visuais e entretenimento. O filme conta com a participação de diversos nomes proeminentes da indústria, como Laverne Cox, Susan Stryker, Alexandra Billings, Jamie Clayton, Chaz Bono, Alexandra Grey, Yance Ford, Trace Lysette, Mj Rodriguez, Jen Richards, Elliot Fletcher, Lilly Wachowski e Zeke Smith, entre outros, que compartilham suas relações com o cinema e a TV, e de como elas influenciaram a forma com a qual eles entendiam a transexualidade, incluindo as suas próprias identidades como pessoas trans. Além disso, Disclosure faz um grande apanhando de como a mídia retrata os indivíduos trans para a população cisgênero, que muitas vezes serviu para perpetuar estereótipos nocivos, preconceitos e violência contra transexuais, transgêneros e travestis.

Disclosure é certamente um documentário com muitos méritos e merece diversos elogios pela forma com ele discorre sobre a existência trans e a sua relação com o audiovisual. Através das várias falas de diversos artistas trans, o filme mostra de forma clara como, por muito tempo, a televisão e o cinema serviram para consolidar as mais nefastas noções sobre pessoas transgênero. Outro caminho tão prejudicial quanto, é o de invisibilizar pessoas trans, de apagar narrativas ou de simplesmente não introduzi-las no universo da ficção, ou ainda, nas poucas vezes em que elas são introduzi-das, tratá-las como doença, desvio de caráter, invenção, ou coisas do tipo. Ao percorrer a história da indústria audiovisual dos Estados Unidos, Disclosure mostra como recentemente houve, finalmente, uma evolução na representatividade trans no cinema e na TV de forma jamais vista e examina a importância dessa mudança para a sociedade em geral. Nesse ponto, o documentário chega a ser um pouco exageradamente otimista e acaba atropelando a parte prática, de explicar o que ainda precisa ser feito para que essa evolução não seja freada. Claro, o filme não esconde o fato de que há muito trabalho a pela frente e de que a comunidade trans ainda seja extremamente subrepresentada na ficção, mas senti que esse momento foi mais resumido do que deveria. De qualquer forma, Disclosure é um documentário obrigatório para qualquer pessoa, principalmente para aqueles que são fãs no universo do cinema e da TV.

Nota 8!

Disclosure está disponível para streaming na Netflix.


Veja também:

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: