PARIAH – 2011

Esse incrível filme de 2011 foi o primeiro longa metragem dirigido e escrito pela cineasta Dee Rees. Um drama LGBTQ, Pariah (que em português mantem o mesmo título), conta a história da jovem Alike (vivida pela ótima atriz Adepero Oduye), uma adolescente de 17 anos que vive um conflito com relação a sua sexualidade e a sua auto-estima. Numa família em crise onde os pais vivem em pé de guerra, Alike sofre com a pressão sufocante da mãe religiosa (vivida por Kim Wayans), enquanto o pai (interpretado por Charles Parnell), mesmo mais próximo, prefere ignorar a sexualidade da filha. Entre os amigos, Alike também é isolada e não se sente confortável nas interações sociais. Ela conta com a amizade de Laura (vivida por Pernell Walker), uma garota lésbica que acompanha Alike nas festas e a incentiva a ser mais pró-ativa nas paqueras. Mesmo assim, Alike não se sente a vontade nos ambientes que frequenta e precisa do seu próprio tempo para começar a entender sua identidade, mas enquanto isso, as coisas ao seu redor de tornam ainda mais complexas e caóticas.

A característica mais marcante de Pariah talvez seja a sua autenticidade. O filme consegue transmitir de forma bastante verdadeira os sentimentos mais complicados que vivemos na adolescência, ainda mais quando falamos de uma adolescência queer. Alike sofre preconceito antes mesmo de ter a sua primeira experiência homossexual porque ela tem uma forma de se vestir, de se expressar e de se mostrar para a sociedade que é vista como mais masculina. Esse julgamento social que sofremos antes mesmo de nos descobrirmos é doloroso, mas infelizmente, é algo muito comum nas vivências LGBTQ+, e o filme trata disse com maestria. Essa autenticidade da história se transmite em outras características de Pariah. O filme é um exemplo perfeito de cinema que une de forma muito bem feita a honestidade da narrativa, os diálogos realistas, os movimentos livres da câmera, o enquadramento dos rostos, tudo de uma forma que lembra até um documentário muito pessoal. Até mesmo a relação da protagonista com a irmã mais nova, Sharonda (interpretada pela adorável Sahra Mellesse), é algo muito real. Como uma pessoa queer, é impossível não se identificar com Alike. Este é com certeza um dos melhores filmes LGBTQ+ dos últimos tempos e para sempre será um ótimo exemplo de boa e honesta representação queer no cinema, que se deve em grande parte ao olhar queer da diretora e roteirista Dee Rees.

Nota 10!

No momento, Pariah não está disponível nas plataformas de streaming ou de aluguel oficiais do Brasil.


Veja também:

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: