STRANGER THINGS – 2016/22

Uma das séries de maior sucesso dos últimos anos, Stranger Things (que mantém o mesmo título na versão brasileira) é um drama cheio de terror e de ficção científica criado pelos irmãos Duffer e lançado como um original Netflix, onde ele estreou em julho de 2016. Ambientada na década de 1980 na cidade fictícia de Hawkins, Indiana, nos Estados Unidos, a primeira temporada se concentra na investigação sobre o desaparecimento de um menino, Will Byers (interpretado por Noah Schnapp) em meio a eventos sobrenaturais que ocorrem na região, incluindo o aparecimento de uma garota com habilidades psicocinéticas, Eleven (vivida por Millie Bobby Brown). Nesse contexto, os amigos nerds de Will vão se juntar a essa garota superpoderosa para tentar encontrar seu parceiro de jogos de RPG e vão acabar se envolvendo numa aventura que pode colocar todo o mundo em perigo.

Com um forte apelo nostálgico para aqueles que viveram os anos 80 e com uma elenco jovem e cativante o bastante para envolver aqueles que nasceram depois dessa época, Stranger Things conseguiu criar uma mistura perfeita para angariar expectadores de todas as idades. Eu mesmo, que nasci no final dos anos 80 e não vivi a década como os personagens da série, acabei seduzido pelo sentimento de celebração de uma época – até porque, nos anos 90, ainda herdei muitos dos elementos da década anterior. Com uma música que exagera nos sintetizadores e excelentes figurino e design de produção que evocam o passado, a série vai além de uma ótima ambientação e nos entrega muita aventura, terror e ficção científica. As histórias são irregulares, no entanto: a primeira temporada é ótima, e na tentativa de reproduzir o sucesso dela, a segunda temporada é praticamente uma repetição da anterior, sem muita originalidade. A terceira consegue ser um pouco mais inovadora, mas alguns dos arcos de alguns personagens são bem mais arrastados e cansativos do que deveriam.

Atualmente na quarta temporada (que demorou mais do que o normal para ser lançada), Stranger Things se esforça para manter um ritmo bom e uma atmosfera tensa e convidativa, além de assustadora, trazendo bons resultados. Novamente, algumas histórias são mais lentas do que outras, mas a série consegue ser mais original do que nas últimas duas temporadas. Nosso carinho por Eleven continua existindo, assim como pelo grupo de amigos que aprendemos a amar e vimos crescer. O foco na amizade continua existindo, o que é o coração de Stranger Things, mesmo quando os amigos não estão todos juntos. Alguns dos destaques são a adorável Max (vivida por Sadie Sink) e a autêntica Robin (interpretada por Maya Hawke). O grupo de crianças – agora adolescentes – se mostra ainda mais independente e suas personalidades se tornam mais marcantes, embora a série ainda se segure um pouco nesse sentido. No fim das contas, a trama é gostosa e repleta de Kate Bush, então fica difícil não assistir com um sorriso no rosto.

Nota 8.

No momento da publicação deste artigo, Stranger Things está disponível para streaming na Netflix do Brasil. Se você se interessou por essa obra e quer conhecer mais sobre ela, incluindo outras opiniões, abaixo você encontra o link para o TvTime, uma rede social de pessoas que comentam todas as obras do mundo do cinema e da televisão. Além disso, já que os filmes e as séries estão sempre mudando de streaming, você pode visitar o JustWatch, uma ferramenta que mostra a disponibilidade de filmes e séries em todas as plataformas de diversos países, para conferir de forma atualizada onde assisti-los! 🎥


Veja também:

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Site criado com WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: