THE WOUND – 2017

Um filme dirigido e co-escrito pelo cineasta sul-africano John Trengove, The Wound (que no original em xhosa leva o nome de Inxeba, e em português se chama Os Iniciados) é um drama LGBTQ+ que estreou no Festival de Sundance de 2017 e participou de diversos outros festivais, onde foi muito bem recebido pela crítica. O filme inclusive foi o escolhido da África do Sul para representar o país no Oscar e chegou a ser um dos selecionados para a pré-lista, mas acabou não sendo indicado. The Wound conta a história de um relacionamento secreto entre dois homens na África do Sul, no contexto do ritual Ulwaluko, um tradicional rito de passagem da cultura xhosa que é entendido como a transformação de jovens rapazes em adultos através da circuncisão. Xolani (interpretado por Nakhane) é um operário de fábrica que se junta aos homens de sua comunidade na cerimônia anual nas montanhas do interior. Além de servir como mentor para os iniciados, Xolani aguarda com expectativa o evento, pois ele lhe dá a oportunidade de restabelecer seu contato com Vija (vivido por Bongile Mantsai). Secretamente, os dois homens mantém uma antiga relação sexual e romântica. Quando, no ritual, Xolani é designado para ser o mentor de Kwanda (interpretado por Niza Jay Ncoyini), um jovem de Joanesburgo, ele rapidamente percebe que Kwanda também é gay, e Kwanda, por sua vez, também percebe a natureza do relacionamento entre Vija e Xolani. Aos poucos, tensões surgem entre os três.

Se por um lado o filme foi muito bem recebido pela crítica ao redor do mundo, na África do Sul, The Wound foi alvo de protestos, intimidações e vandalismo por mostrar os rituais do Ulwaluko num contexto com personagens homossexuais. Sendo assim, é preciso antes de tudo elogiar a coragem do diretor, John Trengove, que é gay, e de todos aqueles envolvidos na produção do drama. Agora, falando do filme em si, devo dizer que ele ocupa um lugar de conflito dentro de mim. Ele é muito bem feito em vários sentidos, com cenas incríveis, uma ótima fotografia e atuações impressionantes, principalmente de Nakhane, que é queer na vida real e desempenha muito bem o papel de protagonista. Não há dúvidas de que o filme traz uma importante perspectiva sobre a masculinidade no contexto da cultura xhosa e sul-africana como um todo. A conclusão, no entanto, acaba destruindo toda a construção do personagem principal e é uma das escolhas criativas mais frustrantes que vi num filme recentemente. A decepção foi tão grande que, mesmo assistindo o filme há meses, eu não sabia se deveria sobre ele aqui. Depois de muita consideração, ainda acredito que a existência do filme seja positiva, por isso decidi compartilhar minhas impressões, mesmo que eu precisasse de um final completamente diferente do que ele traz.

Nota 6!

No momento da publicação deste artigo, The Wound está disponível para streaming no Looke e para aluguel no iTunes e no Google Play. Se você se interessou pelo filme e quer conhecer mais sobre ele, incluindo outras opiniões, abaixo você encontra o link para o Letterboxd, uma rede social de pessoas que comentam todas as obras do mundo do cinema. Além disso, já que os filmes estão sempre mudando de streaming, você pode clicar em JustWatch, uma ferramenta que mostra a disponibilidade de filmes e séries em todas as plataformas de diversos países, para conferir de forma atualizada onde assisti-los!


Veja também:


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Site criado com WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: