MALIGNANT – 2021

James Wan é um dos diretores de maior sucesso da atualidade, e tudo começou em 2004 com um filme de terror chamado Saw (mais conhecido como Jogos Mortais em português). De lá para cá, Wan criou um império de terror, com duas outras franquias muito populares: Insidious (no Brasil chamado de Sobrenatural) e The Conjuring (que leva o título Invocação do Mal em português). Com tantos êxitos, Wan acabou indo fazer filmes em outras franquias memoráveis, como Velozes e Furiosos e no universo da DC Comics, onde dirigiu Aquaman. Agora ele está de volta ao terror com Malignant (que, em português, leva o nome de Maligno), uma história assustadora que acompanha Madison (vivida por Annabelle Wallis), uma mulher grávida casada com um marido abusivo. Um certo dia, Madison é paralisada por visões aterradoras de assassinatos violentos e aos poucos percebe que essas imagens em sua mente têm mais a ver com a realidade do que ela poderia imaginar.

Por mais que muitas pessoas tenham comentado que Malignant é muito diferente da maioria dos filmes de terror de James Wan, eu confesso que o que vi foi mais do mesmo. Esteticamente falando, o visual é escuro, os efeitos visuais são exagerados e a atmosfera é pesada e sufocante, exatamente como nas outras franquias de terror sobrenatural do diretor. Outras técnicas visíveis que sempre foram a assinatura de Wan estão no uso de jump scares e na falta de sutileza da narrativa. Tudo é muito sério, muito importante, é a encarnação do mal, é o demônio, etc… falta uma sutileza que deixaria a história menos cansativa. Ou, se o filme não se levasse tanto a sério e abraçasse a comédia bizarra que por vezes tentar se sobressair, talvez o resultado fosse melhor.

Isso não quer dizer que Malignant não tenha seus méritos. Algumas decisões criativas são inovadoras e levam a narrativa para caminhos interessantes. Os atores também fazem bem seus trabalhos, principalmente a protagonista, Annabelle Wallis, e a cativante Maddie Hasson que interpreta Sydney, irmã da personagem principal. No fim das contas, o filme parece bastante com os algumas obras de terror dos anos 80, super descomedido na sua abordagem, mas sem os momentos de sutileza ou as metáforas sociais que marcaram a época. É mais um filme sobrenatural com algumas reviravoltas que tenta chocar pelo excesso.

Nota 5.

No momento, Malignant está em cartaz nos cinemas, mas ainda não está disponível nas plataformas oficiais de streaming ou de aluguel do Brasil.


Veja também:

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: