MYSTERIOUS SKIN – 2004

Um dos filmes independentes LGBTQ+ mais particulares das últimas décadas, Mysterious Skin (que em português recebe o título de Mistérios da Carne) é um ótimo drama dirigido por Gregg Araki. Baseado na obra do escritor norte-americano Scott Heim que leva o mesmo nome, Mysterious Skin conta a história de dois rapazes pré-adolescentes que passaram por eventos traumáticos quando crianças: Neil (interpretado por Joseph Gordon-Levitt), que se torna um jovem inconsequente e que, enquanto descobre a sua homossexualidade, se envolve sexualmente vários homens, muitas vezes em troca de dinheiro; e Brian (vivido por Brady Corbet), que vive recluso e é obcecado por alienígenas, acreditando inclusive ter sido abduzido por extra-terrestres durante a infância. Quando os caminhos desses dois jovens de cruzam, eles vão descobrir que possuem um passado em comum que afetou suas formas de viver e enxergar o mundo até os dias atuais. O filme conta ainda com Michelle Trachtenberg, Mary Lynn Rajskub, Elisabeth Shue e Bill Sage, entre outros nomes.

Antes de continuar, fica um alerta de gatilho: Mysterious Skin é um filme sobre abuso sexual sofrido na infância e os traumas decorrentes desse tipo de evento. Ao abordar um assunto tão delicado e doloroso, o filme de Gregg Araki toma vários cuidados para ser respeitoso com as experiências de pessoas que já passaram por algum tipo de abuso e é considerado por muitos com um dos filmes mais honestos e realistas ao tratar das consequências que o abuso traz para os sobreviventes. Ao narrar as histórias de Neil e Brian, Mysterious Skin mostra o quão diferentes são as respostas que buscamos após passarmos por experiências traumáticas e o quão duro é o processo de lidar com essa dor, muitas vezes suprimida. A direção de Araki é minuciosa e a edição do filme tem um papel importante na condução da narrativa. Já as atuações são um pouco irregulares, mas não tiram o mérito do filme. Um ponto que merece destaque no enredo de Mysterious Skin é a descrição de Brian como um personagens possivelmente assexual. O filme em si não confirma exatamente que o jovem seja assexual, mas em vários momentos descreve Brian dessa forma. Mesmo sem uma confirmação explicita, essa representação é um dos raros exemplos de assexualidade no cinema. Enfim, como falo no início deste review, se trata de uma obra realmente única e de uma tentativa sincera de levar ao público um assunto tão difícil quanto o abuso infantil, e o resultando é um forte e impactante drama.

Nota 8!

No momento, Mysterious Skin não está disponível nas plataformas oficiais de streaming ou de aluguel do Brasil.


Veja também:

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: