THERE’S SOMETHING IN THE WATER – 2019

Esse incrível documentário dos diretores Elliot Page e Ian Daniel é uma poderosa voz contra a constante opressão que minorias sofrem no Canadá, dessa vez causado por racismo ambiental. Curto, mas muito eficaz, There’s Something in the Water (que mantem o mesmo título em potuguês) acompanha os diretores enquanto viajam por pequenas cidades da província da Nova Scotia, terra natal de Page. Em cada localidade visitada conhecemos diferentes mulheres indígenas e negras que representam cada uma das regiões que, além de compostas por populações pertencentes a grupos minoritários, são regiões marginalizadas pelo governo e pelas autoridades em geral, principalmente no que diz respeito ao cuidado com o meio ambiente. E o filme faz justamente a conexão entre o descaso ambiental e o racismo, como um existe por causa do outro. O foco está em três diferentes comunidades: um bairro da cidade de Shelburne, que é predominantemente negro e sofre com elevados índices de câncer na população, algo que está relacionado com a água contaminada de poços que é utilizada no dia-a-dia das pessoas; bem como as áreas de tribos indígenas nativas da região, como Boat Harbour e Mi’kmaw, que também sofrem com a poluição de suas águas.

Um dos principais méritos desse ótimo e corajoso documentário é desmistificar a ideia de que o Canadá e seu governo sejam perfeitos. É nítida a construção de imagem do país, principalmente no exterior, mas também domesticamente, como um país ideal que acolhe pessoas de todas as cores, etnias, nacionalidades, gêneros e orientações sexuais, mas a realidade é bem diferente do que se imagina. O filme foca mais nas histórias das pessoas e das localidades atingidas por descaso ambiental e pelo racismo, mas eu adoraria ainda mais se ele tivesse se aprofundado na questão política e em como Justin Trudeau e outros governantes canadenses estão colocando a vida das pessoas em risco e perpetuando o racismo no Canadá. Com um assunto super relevante e histórias incrivelmente tristes, é chocante ver que esse tipo de filme que não receba atenção o suficiente, por isso a sua importância é ainda mais gritante. E com Elliot Page a frente, dirigindo, mas também conduzindo e narrando a história abordada, There’s Something in the Water ganha vida. Uma questão importante aqui é que o ator e diretor, um astro carreira consolidada em Hollywood, claramente toma cuidado para não roubar o protagonismo da narrativa. Temos, em alguns momentos, relatos de como era a vida de Elliot na região durante a infância, claramente mais privilegiada do que as das pessoas atingidas pela poluição e esquecidas pelo seu país, mas em nenhum momento ele busca os holofotes, o que é essencial para que o documentário atinja seu objetivo.

Nota 9!

There’s Something in the Water está disponível para streaming na Netflix.


Veja também:

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: